Arquivos de Tag: Filmes

As 10 melhores cenas de sexo do cinema!

Sim, uma pequena lista com as 10 cenas de sexo escolhidas pela revista Mundo Estranho!

Ficou curioso sobre as cenas? Procure videos na internet ou assista os filmes! (este é um blog de família :D)

10 – ATRAÇÃO FATAL (1987), com Glenn Close e Michael Douglas

Quando o filme estreou, tudo mundo se perguntava por que o advogado boa-pinta interpretado por Michael Douglas escolheria uma baranga como Glenn Close para furunfar — ainda mais tendo uma esposa bem mais ajeitada… O fato é que, na seqüência que ganhou o décimo lugar, a loira descabelada descola uma tórrida transa em cima da pia da cozinha, com direito a prorrogação no elevador. Depois, a doidona justifica o título do filme, perseguindo insanamente o cara.

9  – A MARCA DA PANTERA (1982), com Natassja Kinski e John Heard

A exuberante alemã Nastassja Kinski encarna uma criatura exótica neste horror erótico. Na pele de um curador de zoológico, John Heard fica fascinado por aquela garota que se eriçava ao passar pela jaula das panteras… Quando John arrasta a gata para a cama, ela pede para ser amarrada e o rapaz topa, sem imaginar que o fetiche daria um novo sentido ao termo “sexo animal”. Na hora do bem-bom, Nastassja literalmente vira uma fera, saindo do ninho de amor para saciar sua sede de sangue.

8  – SEM SAÍDA (1987), com Sean Young e Kevin Costner

Kevin Costner vive um oficial da Marinha que conhece a sedutora Sean Young, no papel de mulher do secretário de Defesa dos Estados Unidos. A morenaça não perde tempo quando vai passear de limusine com o galã. Rodando pelos pontos turísticos de Washington, ela provoca: “Mostre-me os monumentos”. E ele mostra: o casal manda brasa ali mesmo, no banco traseiro da limusine, enquanto o chofer continua dirigindo pelas ruas da capital americana.

7 –  BONITINHA MAS ORDINÁRIA (1981), com Lucélia Santos e cinco atores

O representante brasileiro do ranking é uma adaptação da peça de Nelson Rodrigues. No filme, Lucélia Santos é uma ninfeta de 17 anos abusada por cinco bandidos no capô de um carro! Para apimentar a maluquice, a garota libera as fantasias sexuais berrando “Cadelão, cadelão!” enquanto rola a transa.

6  – 9 e 1/2 SEMANAS DE AMOR (1986), com Kim Basinger e Mickey Rourke

Taí uma história melada: Kim e Mickey se conhecem na rua e dão início a uma agarração sem fim. Para seduzir a loira, Mickey aposta no jazz clássico de Billie Holiday, mas Kim só se libera mesmo ao som do rock caidaço de Bryan Ferry e Joe Cocker. O momento mais sensual é quando ele coloca uma venda nos olhos da parceira, esfrega gelo em seu mamilo e prepara uma verdadeira salada de frutas em seu corpo provando uvas, morangos e outros vegetais mais inofensivos. Tem quem ache isso erótico…

5  – CIDADE DOS SONHOS (2001), com Naomi Watts e Laura Harring

Às vezes, samos obrigadas a adimitir: homem só atrapalha. Pelo menos é o que dá para concluir em Cidade dos Sonhos, quando a loiraça Naomi Watts convida a morenissíma Laura Harring para dividir a cama com ela. Apesar das pertes íntimas borradas digitalmente na versão em vídeo – uma exigência do diretor -, a cena esbanja sensualidade na hora em que as beldades começas a trocar beijos molhados.

4  – ATA-ME! (1990), com Victoria Abril e Antonio Banderas

Encarnando um psicopata saído do manicômio, o bonitão Antonio Banderas vai atrás de uma atriz pornô, vivida por Victoria Abril, para confessa-lher seu amor. Como a musa nem dá bola, ele resolve amarrá-la na cama. Quando a bandido chega em casa todo machucado, depois de uma surra, aí, sim, Victoria se deixa seduzir. Ah, a mente feminina…

3  – CORPOS ARDENTES (1981), com Kathleen Turner e William Hurt

Uma melodia preguiçosa no saxofone embala um dos mais tórridos romances proibidos da história do cinema. Estreando na telona, os astros William Hurt e Kathleen Turner encarnam, respectivamente, um advogado pé-de-chinelo e uma ricaça sexualmente insatisfeita. O clima sufocante da Flórida é apenas um elemento a mais para manter ardentes os corpos dos protagonistas nesse suspense noir. Na cena mais explosiva, o advogado arromba a porta de vidro da casa da amante, que espera por ele ansiosa, quase sem fôlego de tanta excitação. O fogo do affair rendeu aos novatos uma merecida medalha de bronze na nossa lista.

2  – INSTINTO SELVAGEM, (1992), com Sharon Stone e Michael Douglas

Aos 34 anos e esbanjando agressividade sexual, Sharon Stone ajudou a mudar o comportamento das mulheres nos anos 90. Seu cruza-descruza de pernas pirou os investigadores que a interrogavam e gerou a maior polêmica (afinal, mostrou ou não mostrou?). A cena que arrebatou o vice-campeonato é uma transa de Sharon com Douglas, em que a loiraça leva um picador de gelo para a hora do sexo… Quaisquer que fossem as intenções da moça, ela acabou não usando o acessório!

1  – ÚLTIMO TANGO EM PARIS (1972), com Maria Schneider e Marlon Brando

Antes do Último Tango, manteiga só servia para passar no pão. Escandaloso, polêmico e profundo, o filme ousou retratar o sexo nas telas como nunca se havia imaginado. Um homem maduro e uma jovem se encontram num apartamento vazio e, sem dizerem seus nomes, transam como alucinados. A conturbada relação resulta numa seqüência histórica que introduziu — com carinho — modalidades sexuais menos cristãs no cinema comercial. A famosa “cena da manteiga”, quando Brando unta o rechonchudo bumbum de Maria, foi censurada no Brasil, tornando-se quase mítica. Com tanta fama e ousadia, nada mais justo que a seqüência faturasse o primeiro lugar da lista.

 

O que seria dos filmes sem os efeitos especiais?

Os 10 filmes mais violentos da história!

Macbeth

DIRETOR – Roman Polanski

ANO – 1971

CENA MAIS PUNK – Macbeth apunhala o rei Duncan várias vezes enquanto dorme, numa cena que não fazia parte da montagem original da peça

A versão mais sangrenta desse clássico de Shakespeare foi filmada dois anos após o assassinato de Sharon Tate, mulher do franco-polonês Roman Polanski. Para os críticos, o trauma do diretor explica o excesso de violência na produção

Tragam-me a cabeça de Alfredo Garcia

DIRETOR – Sam Peckinpah

ANO – 1974

CENA MAIS PUNK – Uma garota grávida tem o braço quebrado pelo próprio pai

Neste western mexicano, um fazendeiro tortura a própria filha e promete 1 milhão de dólares para quem trouxer a cabeça – literalmente – de Alfredo Garcia, que teria engravidado a menina. O bangue-bangue foi proibido na Suécia, Alemanha e Argentina

A marca do diabo

DIRETOR – Michael Armstrong

ANO – 1970

CENA MAIS PUNK – Uma mulher acusada de bruxaria tem a língua arrancada numa sessão de tortura

As torturas da inquisição medieval são o cenário para esse clássico do horror. Logo na abertura, freiras aparecem sendo estupradas. Alguns cinemas que exibiram o filme distribuíram sacos de vômito para a audiência agüentar o tranco

Aniversário macabro

DIRETOR – Wes Craven

ANO – 1972

CENA MAIS PUNK – Garota arranca pênis de bandido a dentadas

O criador das séries A Hora do Pesadelo e Pânico estreou na direção com esse filme barra-pesada, em que um grupo de criminosos estupra, tortura e mata duas garotas. Não é à toa que o filme ficou proibido por 30 anos na Grã-Bretanha

Taxi Driver

DIRETOR – Martin Scorsese

ANO – 1976

CENA MAIS PUNK – Um gigolô tem os dedos das mãos arrancados a tiros

Neste suspense, Robert de Niro vive um taxista doidão que decide matar um candidato à presidência americana. O tiroteio no bordel é tão sanguinolento que os produtores tiveram de amenizá-lo na pós-produção, tirando um pouco da cor da cena e deixando o sangue com um tom rosado

Assassinos por natureza

DIRETOR – Oliver Stone

ANO – 1994

CENA MAIS PUNK – Com a ajuda do namorado, filha afoga o pai e põe fogo na mãe

Woody Harrelson e Juliette Lewis vivem dois psicopatas que viajam exterminando pessoas. Para tentar diminuir a censura do filme, o diretor Oliver Stone cortou ou refez 150 trechos antes da edição final. Mesmo assim, o suspense foi proibido na Irlanda

Holocausto Canibal

Não coloquei imagem deste filme por que achei muito pesada pra postar aqui. Se você quiser, procure pelo nome do filme no Google Imagens e veja por sua conta em risco.

DIRETOR – Ruggero Deodato

ANO – 1980

CENA MAIS PUNK – Uma garota é empalada com uma estaca de madeira que sai pela boca

Para contar essa história sobre canibais famintos, o diretor Ruggero Deodato chegou a matar bichos de verdade. E, para combater uma onda de boatos, teve de levar os atores a um programa de TV na Itália para provar que eles não tinham virado ensopado na selva

Irreversível

DIRETOR – Gaspar Noé

ANO – 2002

CENA MAIS PUNK – Estuprador tem sua cabeça esmagada com um extintor de incêndio

Monica Belucci interpreta uma mulher estuprada numa cena que dura quase 20 minutos. Além do enredo hardcore, a primeira meia hora desse filme francês tem um incômodo ruído de fundo que provoca náusea e vertigem. No cinema, muita gente desencanava de assistir ao filme no meio da sessão

A história de Ricky

DIRETOR – Ngai Kai Lam

ANO – 1991

CENA MAIS PUNK – Homem vira picadinho num moedor de carne gigante

Essa mistura de terror e comédia mistura kung-fu, membros decepados e olhos arrancados. Na cena do moedor de carne, a produção usou tanto sangue falso que o ator que encarnou Ricky não conseguiu tirar o corante vermelho da pele por três dias

Kill Bill – Vol. 1 e 2

DIRETOR – Quentin Tarantino

ANOS – 2003 e 2004

CENA MAIS PUNK – Após uma tremenda surra, A Noiva, grávida, leva um tiro na cabeça

Principalmente na parte 1, o épico de Quentin Tarantino carrega na pancadaria. Na seqüência em que a Noiva enfrenta um exército de mascarados, 57 pessoas vão para o saco. E o ketchup jorra sem dó: ao todo, os produtores usaram mais de 1 700 litros de sangue de mentira nos dois filmes.

Fonte

Scroll To Top